TITE DEIXA HOMENAGEM PARA EX-TREINADOR DO FLAMENGO E ÍDOLO DA SELEÇÃO BRASILEIRA, ZAGALLO

Lenda eterna do futebol, o tetracampeão do mundo Zagallo, morreu nessa sexta-feira (6/1) aos 92 anos. O ídolo recebeu uma série de homenagens nas redes sociais de jogadores e de ex-jogadores da Seleção Brasileira. Do elenco do tetra, vencido em 1994, nos Estados Unidos, as despedidas têm sido mais pessoais. Tite também deixou o seu recado, exaltando a trajetória do Velho Lobo dentro e fora de campo. 

“Grande exemplo como pessoa, caráter, conduta, como família. Do extraordinário e inspirador técnico durante toda trajetória. O grande atleta que foi. Fica assim na história”, disse o técnico do Flamengo em vídeo divulgado na conta oficial do clube nas redes sociais. Confira o vídeo na íntegra:

Os ex-jogadores Juan e Leandro Ávila também publicaram vídeos na conta do Flamengo despedindo-se de Zagallo, que faleceu aos 92 anos.

Bebeto, Taffarel e Ricardo Rocha, que publicou um vídeo gritando “eu te amo, Zagallo”, são alguns dos ex-atletas do histórico elenco a se despedirem do ex-técnico. Além deles, outras figuras campeãs do mundo também postaram fotos com o Velho Lobo. Da “atual geração”, Vinícius Júnior, Casemiro e Thiago Silva também postaram homenagens.

Mario Jorge Lobo Zagallo nasceu em 9 de agosto de 1931, em Atalaia. Começou sua carreira no América-RJ, seu clube do coração. Depois, transferiu-se para o Flamengo, time no qual conquistou o tricampeonato carioca (1953, 1954 e 1955). Após o Rubro-Negro, foi para o Botafogo, clube em que voltou a vencer estaduais, além da Taça Brasil.

Pela Seleção Brasileira, Zagallo esteve presente nas disputas dos Mundiais de 1958 e 1962, conquistadas pelo Brasil.

Após se aposentar dos gramados em 1966, iniciou a carreira de técnico no juvenil do Botafogo. Treinou o profissional do Fogão em quatro oportunidades, o Flamengo três vezes, o Vasco em duas ocasiões, além de Fluminense, Al-Hilal, Bangu e Portuguesa.

Zagallo foi o treinador da icônica Seleção Brasileira de 1970, tricampeã mundial no México. Foi coordenador de Parreira em 1994, Copa que o Brasil também venceu, nos Estados Unidos, e vice-campeão como treinador da Seleção em 1998, na França. Trabalhou na Copa de 2006, novamente na comissão técnica de Parreira.

Com os dois títulos vencidos como treinador e os dois como jogador, é o recordista de Mundiais, além de ser uma das três pessoas que conquistaram a Copa do Mundo tanto como jogador quanto treinador.